Imprensa

Entrevista: Thais Obata fala sobre a importância da seleção de executivos

Entrevista: Thais Obata fala sobre a importância da seleção de executivos

As diferenças para Seleção de Executivos de alta e média gerência e para recrutamento e seleção são significativas, e quem irá localizar o novo talento precisa realizar fases complexas que exigem ética e pesquisa no mercado.

Para esclarecer algumas dúvidas sobre o processo de Hunting, confira a entrevista realizada pelo  Norteando – Jornal do Grupo Nortearh, com a Analista de Recursos Humanos da Caram Hunting, Thais Obata.

Norteando: Em geral como funciona o processo de Hunting (Seleção de Executivos)?
Thais Obata: O Hunting acontece de maneira planejada, porque o objetivo é que identifiquemos exatamente o profissional que a empresa precisa. Esse profissional ocupa cargos estratégicos e apresenta perfil e experiência muito específica. São profissionais raros no mercado, por isso é necessário o processo de Hunting. No processo mapeamos os locais onde podemos encontrar esse profissional, e , posteriormente, o abordamos, convidando a participar da seleção.

Norteando: Qual o diferencial entre a seleção de executivos para os demais processos seletivos?
Thais Obata:É um processo em que devemos planejar a maneira como conseguiremos essa pessoa. Criamos estratégias para encontrá-lo e para conseguir entrar em contato com ele. É de extrema importância o cuidado no que se refere à abordagem do profissional, para não comprometê-lo, além, é claro, do cuidado que devemos ter com o cliente para atendê-lo especificamente no que ele precisa.

Norteando: Nos processos de Hunting há posições que são divulgadas e outras sigilosas. Por que e quando é necessário esse sigilo?
Thais Obata: O sigilo é necessário porque no processo de Hunting buscamos profissionais para posições estratégicas e que detêm informações importantes, que trazem impacto para as empresas. Por isso é tão importante o sigilo.

Norteando: Quais os cuidados que o consultor deve ter ao recrutar e selecionar executivos?
Thais Obata:Temos que compreender que para esse profissional é difícil ter tempo para participar de processos seletivos, para se ausentar por períodos de tempo maiores da empresa onde trabalha. Procuramos então facilitar o máximo possível para que ele possa participar da seleção com tranqüilidade, além , é claro, de garantirmos a ele o sigilo das informações que nos é passada. Outro aspecto importante é a primeira abordagem do profissional. O convite para a participação no processo também é um momento muito delicado, afinal ele está recebendo um convite para algo que não espera.

Norteando: Por que as empresas sentem dificuldade de selecionar executivos?
Thais Obata:Profissionais com a bagagem que as empresas precisam são raros. Elas sentem dificuldade porque esse profissional não está disponível no mercado. Ele não irá por exemplo, divulgar seu currículo na internet. Por isso, esse profissional tem que ser buscado no mercado.

Norteando: Atualmente, quais as competências que as empresas buscam encontrar nos executivos?
Thais Obata: Competências como a habilidade de comunicação e relacionamento interpessoal, liderança, capacidade para trabalhar sobre pressão, interesse no contínuo aperfeiçoamento e resiliência são as principais.